As melhores termas de Budapeste

GUIA DE VIAGEM
ROLAR PARA VER

Suntuoso lar do rio Danúbio, Budapeste esconde maravilhas. Seja em Peste, admirando a beleza do edifício do Parlamento, ou seja em Buda, local da majestosa Igreja de São Matias, a capital da Hungria impressiona.

Mas uma coisa chama a atenção em qualquer visitante menos avisado: a quantidade de fontes termais presentes na cidade. De acordo com a Lonely Planet, são contadas quase 125 termas espalhadas por Budapeste que exemplificam o verdadeiro espírito da cidade.

Nenhuma fonte de épocas romanas restou, mas algumas carregam herança das ocupações turcas. É possível também encontrar maravilhas com inspiração art nouveau – ou, se preferir, instalações bem mais contemporâneas.

Para escolher o destino certo, é só procurar termas que tenham a ver com o seu gosto – seja para se divertir, relaxar, curar a ressaca ou amenizar problemas mais sérios. É preciso sempre ficar de olho nos horários de funcionamento de cada um e ter em mente que a maioria deles é misto, com homens e mulheres.

O mais famoso entre eles é o Rudas Bath. A piscina central e suas quatro termas laterais foram construídas no século 16, durante as invasões do Império Otomano, e tem quase 500 anos. O Széchenyi Baths é o maior deles, foi construído entre 1909 e 1918, e possui estilo renascentista. Gigantesco e luxuoso, possui mais de 15 banhos termais com águas acima dos 38ºC.

Que tal fazer um roteiro por esses e outros maravilhosos banhos em Budapeste? Fale com os nossos agentes da Fred Tour e confira benefícios exclusivos para clientes.

Compartilhe
TAGS
#Budapeste  
#cultural  
#Europa  
#histórico  
GUIA DE VIAGEM

POSTS RELACIONADOS

Tendências de 2019 para viagens de luxo

Quais são as novas tendências no mundo das viagens de luxo? Para onde os viajantes mais desejam ir,...

3 experiências incríveis para viver o Dia dos Muertos

31 de outubro é Halloween, mas marca o início...

As obras de Gaudí no coração da Catalunha

(Imagem de capa do post – Parc Guell)

 

Conhecida por ser a “cabeça e a lareira da Catalunha”,